Monday, March 20, 2006

Trilha Sonora do Filme Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964)




DOWNLOAD!


Faixas:
01. Abertura
02. Manuel e Rosa
03. Sebastião
04. Discurso de Sebastião
05. A Mãe
06. Antonio das Mortes
07. Corisco
08. Lampião
09. São Jorge
10. Monólogo
11. A Procura
12. Reza de Corisco
13. Perseguição/Sertão Vai Virar Mar


Sei que esse não é um disco de rock, e muito menos psicodélico ou progressivo. Mas é uma raridade sem igual. Publico aqui em homenagem aos que, como eu, também são amantes da sétima arte.


No encarte do disco, lemos:


DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL

cancioneiro do nordeste
composto e interpretado por
SERGIO RICARDO

Letras de
GLAUBER ROCHA



O cego Zé, guiado apenas por seu primo Pedro das Ovelhas, me disse que ele cantava para não perder o juízo; pegava o cavaquinho e, voz de angústia, furando as tardes de Monte Santo, invocava amores perdidos e crimes terríveis.

Quem anda pelo sertão conhece bem um cantador -- velho e cego (que cego vê a verdade no escuro e assim canta o sofrimento das coisas) bota os dedos no violão e dispara nas feiras, levando de feira em feira e do passado para o futuro, a legenda sertaneja: história e tribunal de Lampião, vida, moralidade e crítica. Na voz de um cantador está o "não" e o "sim" -- e foi através dos cantadores que achei as veredas de Deus e o Diabo nas terras de Cocorobó e Canudos.

Sou mau cantador -- sem ritmo e sem memória, fiquei por tempos a ruminar e reinventar a essência das coisas que tinha ouvido -- e um enorme romance em versos nasceu, impuro e rude, narrando o filme. Acabando o trabalho, pronta a montagem, restavam imagens neutras, mortas, que necessitavam da música para viver: eram imagens do romanceiro transcrito. Todo o episódio de "Corisco", por exemplo, nasceu das cantigas que ouvi cantar em vários lugares diferentes e, dispensada a música, perderia um significado maior.

Sérgio Ricardo, embora seja sambista com mistura de morro e asfalto, tem paixão pelo nordeste, tem a vantagem de ser cineasta e sabe que música de filme é coisa diferente: tem de ser parte da imagem, ter o ritmo da imagem, servir (servindo-se) à imagem.

Começamos o trabalho. Dei as letras -- nas quais usei muitos versos autênticos do povo -- e Sérgio começou a compor. Tinha seus vícios de "arranjos"; discutimos que o negócio tinha de ser "puro". Sérgio ouviu péssimas gravações do cego Zé e do seu primo Pedro: pegou e matutou o tom. Cortamos certos versos, fizemos outros: Sérgio deu uns palpites nas letras e eu, mau cantador, dei palpites na música. E ensaiamos pra valer na hora da gravação. Transformei Sérgio em ator -- gritei, ele ficou nervoso, deixou os preconceitos e soltou a voz e os dedos do violão. Depois de vários dias a noites a banda sonora estava gravada.

Acho que o cinema brasileiro tem, nas origens de sua linguagem, um grande compromisso com a música -- o nosso triste povo canta alegre, uma terrível alegria de tristeza. O samba de morro e a bossa nova, o romanceiro do nordeste e o samba de roda da Bahia, cantiga de pescador e Villa-Lobos -- tudo vive desta tristeza larga, deste balanço e avanço que vem do coração antes da razão.

Uma das mais belas imagens do nosso cinema é, por isso, aquela de Grande Othelo, em "Rio Zona Norte", cantando um samba de Zé-Keti. É assim que nossa música no cinema funcionará sempre como a explicação profunda da alma brasileira.

Glauber Rocha


Fazer o download da Trilha Sonora do Filme Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964).

19 comments:

Vinícius said...

Aaahhhh, estava justamente pensando em postar essa trilha no meu blog [rs]. Achei que era só eu que curtia esse tipo de som [rs]. Realmente ela é ótima, valeu.

ps.: Aproveitando pra dizer que estou reativando uma comunidade de troca de arquivos. Se tiver afim de participar, se chama "Bandas Obscuras Antigas".

Abraço

Mauro de Araújo said...

vou mandar um e-mail pra o Papa de beatificar.. ( rs)

abraço

Titi said...

MARAVILHA!!!

mvcosta said...

Obrigado pelo disco. Muito bom mesmo.

Se te interessar, posso te mandar a capa do disco (que era diferente do cartaz do filme).

Wagner Guerreiro said...

Excelente! independente do estilo musical, uma obra de alto nível.

vim aqui por indicação do Conexão Cordel. vou virar frequentador assíduo!

valeu

Anonymous said...

Eu jà tenho essa trilha, o que não tenho são as letras.....não entendo bem as palavras das canções, enquanto tenho dificultade com o português falado (sou italiana). Você podia postar essas letras aqui o sugerir onde eu possu achalas?
Tchau e parabens para o seu blog! ;)

Teresa :)

Anonymous said...

enhorabuena, excelente. gracias por esta rareza que no escuchaba desde que vi la pelicula hace un monton de años. gracias desde madrid

Anonymous said...

QUE BUENO HABER ENCONTRADO ESTO!!!! GRACIAS POR ESTAR. ALVARO. MONTEVIDEO, URUGUAY

Anonymous said...

Que maravilha cara
ao tempo que eu procurava essa trilha sonora.
será que me pode informar onde poderei encontrar um disco dos "JOGRAIS DE S.PAULO", (anos 60) que eu ouvia com meu pai ha 30 anos ou mais...eles falam em coro, dizendo poemas de Fernando Pessoa, João Vilaret, Vinicius, etc.
me escreva por favor para zejoao69@hotmail.com

Deus te pague, bom trabalho
OBRIGADO, ze joao

NUNO said...

boas,
eu sou português e descobri este filme há pouco tempo, queria ter a banda sonora mas não consigo fazer o download, seria possível postar novamente???
Obrigado

Matagueira said...

Não consigo fazer o download desta maravilhosa trilha sonora. Podes postar novamente?

Apólogo 11 said...

A música do Sérgio Ricardo é rock sim. Veja este trecho de uma crítica minha:

E os violões vigorosos – com um certo acento ‘rock’–, usando intervalos de 4a e 5a, nas músicas dos filmes de Gláuber Rocha (Deus e o Diabo na Terra do Sol. p. ex.)? – vide “Antônio das Mortes”, “O Sertão vai virar Mar” e “Perseguição (Corisco)” – uma inovação em trilhas sonoras. Vemos ecos deste estilo violonístico em, p. ex.: “Geléia Geral”, do Gilberto Gil, (Tropicália); o violão de Marcelo Melo do Quinteto Violado em “Sarabanda” e “Vem, vem” de Geraldo Vandré (Das Terras de Benvirá), “Acauã” (1o LP do Quinteto), “Mundão de Deus” (do 4o LP). Vide as excelentes versões do Quinteto para “Briga de Faca” e “Corisco” (Antologia do Baião); também em músicas do Geraldo Azevedo: “Caravana” (Saramandaia); e o estilo dos arranjos nos primeiros discos de Alceu Valença.

fperacoli said...

Matagueira,

o link esta funcionando sim.

Abcs,
Fabio

Alysson Vinicius said...

Perfeito!!
Estava na procura dessa trilha!!
Seu que o post é antigo, mas me ajudou demais!!!
Value!!

Ariel said...

Nossa, estava ha muito tempo procurando esse trabalho, nunca achei em nenhum site e a barra do Bit torrent estagnou nos 20% logo nos primeiros minutos. Muito obrigado, siga com o seu trabalho.

Giuliana said...

Fabio, "achei que era só eu que curtia esse tipo de som" 2.. nossa demais, obrigada adorei o blog!

Tomas said...

http://www.4shared.com/get/MQgmHJr3/1963_-_Deus_e_o_Diabo_na_Terra.html

Ricardo Ol. Zanchetta said...

Há um erro no link pra download, o nome, o filme é de 1969, não 1964.

fperacoli said...

Ricardo,

O link está funcionando perfeitamente para mim. O filme é sim de 1964, pode procurar na Wikipedia, IMDB, etc.... "O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro" é que é de 1969....

Abcs