Monday, April 02, 2007

Hair Soundtrack - Brazilian Version (1969)




DOWNLOAD!


Faixas:
01. Aquarius
02. Donna
03. Ás de Espadas
04. Manchester Inglaterra
05. Sou Preto, Não Tenho
06. Ar
07. Tenho Vida
08. Hair
09. Minha Convicção
10. Fácil Dizer Não
11. Pra Onde Vou
12. Hare Krishna
13. Frank Mills
14. Crioulos
15. Olhos Abertos
16. Que Obra de Arte o Homem é
17. Bom Dia Estrela
18. Deixe o Sol Entrar


Menos de um ano após a assinatura do Ato Institucional nº 5, que instaurou a fase mais dura do regime militar, com cassações de direitos políticos em massa e prisão e torturas de adversários, estreava em São Paulo a montagem brasileira do musical Hair, no palco do Teatro Aquarius, mais tarde Teatro Zaccaro, no bairro do Bixiga.

A iniciativa, ousada para a época, deveu-se a Ademar Guerra, responsável por várias realizações pioneiras do teatro brasileiro e que vinha de uma temporada exitosa com a polêmica peça Marat/Sade, de Peter Brook.

Ademar e o produtor Altair Lima tiveram que vencer várias dificuldades. Primeiro, a descrença de empresários teatrais de que era possível montar um musical do porte de Hair no Brasil. Depois de vencida esta resistência, veio outro problema: a censura.

A montagem original era repleta de cenas em que os atores apareciam nus, o que desagradou a censura. Seguiu-se uma penosa negociação e, ao final, os censores concordaram em que a nudez dos atores seria mostrada apenas uma única vez na peça, em uma cena com apenas um minuto de duração e na qual os atores deveriam permanecer absolutamente imóveis.

Apesar das restrições, Ademar deu um tratamento requintado à cena, que caiu no gosto do público e da crítica e é lembrada até hoje como um dos grandes momentos do teatro brasileiro.

Hair marcou a estréia de vários jovens atores e atrizes, que depois se tornaram famosos por suas atuações no teatro, cinema e televisão. O elenco inicial era composto por Armando Bogus, Sônia Braga, Maria Helena, Altair Lima, Benê Silva, José França, Neusa Maria, Maria Regina, Marilene Silva, Laerte Morrone, Aracy Balabanian, Gilda Vandenbrande, Bibi Vogel e Acácio Gonçalves.

Sônia Braga, então com 18 anos, foi a grande estrela da peça, mas quase ficou de fora do elenco, pois não contava com a simpatia do diretor Ademar Guerra e só foi aceita por conta da insistência de Altair Lima. Entre os que se encantaram com Sônia, estava Caetano Veloso que compôs Tigresa em sua homenagem. Sônia era a tigresa de unhas negras e íris cor de mel, que trabalhou no Hair.

Ao longo da carreira da peça, que se estendeu até 1972, entraram as atrizes Ariclê Perez e Edyr Duqui (que depois faria parte do grupo musical As Frenéticas) e os atores Antonio Fagundes, Nuno Leal Maia, Ney Latorraca, Denis Carvalho, Buza Ferraz e Wolf Maia.

A direção musical da peça foi de Cláudio Petraglia, a coreografia, de Márika Gidali e a tradução das músicas para o português, de Renata Pallotini.

Texto extraído de wikipedia.com.




Fazer o download de Hair Soundtrack - Brazilian Version (1969).

17 comments:

MUDDY BOOGERS said...

very nice,as always

Anonymous said...

adorei a nostalgia que leva os comentários sobre Hair. Estou atualmente atuando num musical com uma das músicas "Aquarius" e sinto essa historicidade ao representar...

ProgShine said...

Bem interessante, bem interessante mesmo, só achei que (como todo musical passado pra língua portuguesa) os vocais pecaram. Mas é realmente interessante.

MrCorda said...

ainda não terminei de baixar o arquivo, mas me parece bem interessante. Hair é um dos meus filmes preferidos, incluindo aí a trilha sonora. Tenho um livro da Palottini e a respeito muito.
Ótima iniciativa a sua, graças a pessoas como você e não aos ratos-executivos-mercantis das gravadoras somos levados a conhecer essas maravilhas perdidas no tempo.
Obrigado

brunnoalmeida said...

Só um detalhe:

O texto MARAT/SADE, não é de Peter Brook, e sim de Peter Weiss.

Obrigado.

goretty said...

Eu nem imaginava que existia um Hair rasileiro,adorei as músicas.
Obrigada por compartilhar.

Mira said...

Achei mto engracada Sou Preto, Nao tenho.

Vc escuta a original, bem feita, a versao brasileira eh mto loser, mto debochada, meu, ironica.

Parece ate uma critica aos hippies da epoca.

Amei, bjs

Visitem www.myspace.com/mmiragemm

Patoputo said...

quanto vale esse vinil? tenho um colega que tem

patconey said...

Olá, gostaria muito de comprar esse LP do Jair, sabe de alguém que tenha para vender?
Estou tentando baixar as músicas pelo seu blog mas tá difícil, não consigo.
Meu marido foi um dos artistas do primeiro musical no Brasil e estou tentando reunir muitas referencias dele do passado para a publicação de um livro. O nome dele no texto do wikipedia está errado, não é José França e sim José Luiz de França Penna. Obrigada, meu email é patconey@gmail.com

Anonymous said...

falta um nome ai coleguinha. PINGO é o um dos atores que permaneceu mais tempo fazendo hair, desde sua primeira montagem. é o ultimo nome na lista do elenco.

Alex B said...

Não vão gostar do comentário, porém...
Já tinha ouvido falar que essa versão brazuca de Hair, apesar da lenda e do oba-oba era tosca, ruim. A trilha reforça... os vocais são muito ruins, sem variação, duros, forçados. Algumas letras são bem originais, e só.

fperacoli said...

Alex B.

Faço minhas as suas palavras. Só para constar, nem tudo que posto aqui eu gosto ou acho que tem qualidade. Mas, penso que mesmo divulgando o que é meio tosco, esse conhecimento contribui para se entender de uma forma um pouco mais ampla o que foi essa época.

Abcs,
Fábio

Rodrigo said...

nao caonsigo baixar esse disco. aparece que ele nao foi encontrado.

fperacoli said...

Rodrigo,

o post esta ok

leandro69 said...

Pois eu acho este LP espetacular. Não falo da qualidade vocal - é covardia comparar a montagem do teatro Oficina com a superprodução dos americanos. Mas marcou época, lançou gente boa que está na mídia até hoje. É um registro. Eu tinha o LP que meus pais compraram quando viram a peça, mas ele se perdeu nas sobras de tudo que chamam lar. Recuperei-o agora, graças a este post. Obrigado!

said...

há muito tempo não vinha parar aqui. comprei esse vinil esses dias. muito interessante, muito interessante.

Moller said...

Tenho dois LPs desses. Posso pensar em dispor de um deles. Sou fã do musical e vi o revival na Broadway no ano passado. Entrem em contato, caso queriam...