Friday, May 19, 2006

Quintal de Clorofila - O Mistério dos Quintais (1983)




DOWNLOAD!


Faixas:
01. As Alamedas
02. Jornada
03. Drakkars
04. Liverpool
05. Gotas de Seresta
06. Viver
07. O Último Cigano
08. Jardim das Delícias
09. Balada da Ausência
10. O Mistério dos Quintais


Quintal de Clorofila foi um duo de folk psicodélico, formado pelos irmãos Dimitri e Negrende Arbo. Eles fizeram parte do cernário folk gaúcho que se iniciou no final dos anos 1970, com grupos como Os Tápes, Almôndegas, Utopia e Grupo Terra Viva, e se extendeu aos anos 1980, com grupos como Tambo do Bando e Couro, Cordas e Cantos. Quintal de Clorofila é um dos poucos que chegaram a gravar um álbum, lançado pelo selo independente Bobby Som em 1983. Para esse LP, o grupo gravou composições próprias com letras do irmão deles, o poeta Antonio Calos Arbo. Nas palavras do próprio Dimitri Arbo, o som deles misturava jazz, rock, música medieval e ritmos africanos orientais e latinos, no que ele chama "Rock Viking". Com certeza é uma musica complexa, com uma tremenda profundidade e inspiracão abundante, o que se evidencia ao longo de todas as faixas bastante atmosféricas do álbum.

Texto adaptado de http://www.midheaven.com/artists/quintal.de.clorofila.html

Fazer o download de Quintal de Clorofila - O Mistério dos Quintais (1983).

33 comments:

Anonymous said...

Eu achei as infos abaixo no link

http://www.midheaven.com/artists/quintal.de.clorofila.html

QUINTAL DE CLOROFILA were a psychedelic folk duo, formed by brothers DIMITRI and NEGRENDE ARBO. They were part of a set of folk groups comprised of “gaúchos” (native country people) that appeared in the 1970s, with groups like Almôndegas (minced meat balls), Utopia and Grupo Terra Viva (Alive Earth Band), and continued to exist in the 1980s with groups like Tambo do Bando, Couro, Cordas & Cantos (Leather, Strings & Songs) and Quintal de Clorofila (Garden of Chlorophyll). Quintal de Clorofila is one of the few who got to make a record, which was released by the independent label Bobby Som in 1983. For this LP, the group recorded their own compositions, with lyrics by their brother, the poet ANTONIO CARLOS ARBO. According to Dimitri Arbo, the band mixed jazz, rock, medieval music, Afro, oriental and Latin rhythms; and named their kind of music "Viking Rock." It’s a complex sound to be sure, with tremendous depth and abundant inspiration evident throughout all of the album’s atmospheric songs. Two alternate versions of songs from the album are included as bonus tracks.

Anonymous said...

gracias Senor. Tienes el primer disco de Alceu Valenca?

Anonymous said...

Just a general comment from North America: thank you for posting all of this. This music is extremely difficult to find in the United States.

Anonymous said...

infelizmente muitos discos, os postados no turboupload, estão com os links quebrados.

Hassin Nundah said...

Eu conheci pessoalmente o Negendre e o Dimitri. Naturais de Santa Maria, faziam incursões na noite de Porto Alegre na década de 80. Quando a rapaziada que estudava Engenharia na PUC resolveu abrir o Opinião lá pelos idos de 1985, vi algumas apresentações da dupla. E me encantei com a habilidade de ambos, em diversos instrumentos. Uma boa recordação...

Grato.

Anonymous said...

bacana...não vão postar mais nada?

fperacoli said...

Muito obrigado pelas informações da banda. Tinha procurado coisas sobre eles, mas até agora não tinha encontrado nada.

Quanto ao primeiro disco do Alceu Valença (Molhado de Suor), tenho sim. Só que prefiro não colocar no blog coisas que ainda estejam em catálogo. O Molhado de Suor foi recentemente relançado pela Som Livre, na sua coleção Masters. Mas, aos interessados, me mandem um e-mail em private, que eu vou ver se encontro um link na net.

Anonymous said...

hoje que dia feliz.a tempos pensava no quintal de clorofila.os conheçi no farol de santa marta-laguna.que maravilha.hoje resolvi procurar e achei este site maravilhoso de quem ja sou agora uma fã.adoro dimitri e nejandre alda

fperacoli said...

Poxa! Não sabia que o Quintal de Clorofila tinha tantos fãs... ;-)

jwagner said...

uma palavra pra esse álbum: GENIAL!
entre as coisas que já baixei por aqui, esse é, sem dúvidas, o melhor de todos! muito bom MESMO!

ProgShine said...

Cara, sinceramnet? GENIAL MESMO. Meu Deus, me encantei e não paro de ouvir um só dia, muito Foda!
A Faixa 6 Viver é simplesmente a coisa mais maravilhosa que eu já ouvi.
Muito Bom.

Anonymous said...

O Dimitrii e o Nejandre começaram a fazer sucesso aqui em Santa Maria-RS. Estudaram na Escolinha de Artes da UFSM. Fui colega do pai deles, jornalista e opeta Antonio Carlos Arbo.
O Quintal de Clorofila dá de dez a zero em muita coisa que anda por aí. Vou baixar as músicas da Internet e curtir.Sucesso!

Anonymous said...

Muito bom mesmo o Quintal de Clorofila, esses caras deviam fazem um show aqui em Santa Maria novamente!

Anonymous said...

Muito legal!! Conheci os caras também, lá em Santa Maria. Na época, comprei o LP. Eu tinha pouco mais do que treze anos, estava conhecendo a noite na cidade e fiquei chapado com um show deles, só os dois tocando vários instrumentos, fazendo uns barulhos com umas telhas ou umas folhas de zinco. Sei lá o que era aquilo. Vou ver se reencontro este vinil em algum lugar...

Alex B said...

Caro Peracoli, de tudo que baixei até agora em seu blog, este, juntamente com Peabiru, é o melhor! Uma obra linda e sedutora. Eu chamaria de folk psicodélico pagão (???!!), tamanha a beleza e inusitado desse disco. Essencial
Mais uma vez, parabéns pelo blog

Anonymous said...

Esclarecendo: Antonio Carlos Arbo era o pai dos irmãos Dimitri e Negendre. Pode verificar essa informação, pois a família deles residia aqui em Santa Maria, RS.

Anonymous said...

Tenho LP deles ate hoje Infelizmente eles estao Separados
o Dimitri esta ainda no Rio Grande do Sul e o Negendre está no Parana
O som do Quintal era muito avançado para epoca como se fosse primeiro aviao com motor a jato voando na epoca do 14 BIS , bem harmonioso e com letras muito bem trabalhadas . Eles surgiram com um novo tema na epoca que as bandas do sul eram uma imitação barata do Legiao, Capital, Iron etc... mas mesmo assim eles foram um marco não de rebeldia ou psicodelismo mas sim de uma inovação musical

Anonymous said...

O Quintal surgiu numa epoca em que que muitas bandas da cidade eram uma copia barata do Legião , Capital , Camisa de Venus, Iron.
Era o surgimento de algo novo , com letras e musicas bem elaboradas
muito avançada pra época onde a musica Nativista gaucha tinha tomado conta dos jovens daquela época. Hoje no seculo XXI eu e uns amigos estava-mos escutando o LP que tenho ate hoje e um deles se surpreendeu com o tipo de som feito na época ele só acreditou pq era um LP Hoje Dimitri e Negendre não estão mais juntos um esta no Rio Grande do Sul e o outro no Parana e o Poeta Antonio Carlos Arbo repousa no Cemitério da cidade de Santa Maria

Leandro said...

Bons tempos em Santa Maria, fui amigo da família,´fui aluno do Negendre, ele me falava sobre campo harmônico e eu pensava que coisa de louco, hoje sou médico e músico amador, e agora entendo tudo o que ele me dizia naquela época o cara é um Gênio mas no Brasil sabe como é...

Sergio Pivetta said...

Velhos tempos de boa música, o Negendre e o Dimitri foram meus vizinhos, e todos os dias eu ficava ouvindo seus ensaios. Vi apresentações deles e acho maravilhoso. Eles despertaram em mim o gosto pelo violão, hoje sou empresário e músico amador.

Anonymous said...

Muito legal o som do Quintal. Tem muita coisa boa rolando por ai que a gent nem tem idéia de que existiu. Eu nunca tionha ouvido o som deles antes e achei muito bom.

Abs
Paulo (pleonard@globo.com)

Anonymous said...

Coisa fina!!
Incrível como no Brasil, muitos artistas excelentes, com composições maravilhosas, caiam no esquecimento.

Esse é o exemplo de disco que vale a pena você mostrar pra todo mundo. Não podemos deixar de valorizar essa obra prima de nossa cultura!!

Anonymous said...

Eu vi um show deles esta semana!!!!!!!Foi lá no 512 espaço cultural...(joão alfredo 512 - Porto Alegre) Música MUITO boa!!!! E os "guris" são gente fina!!! Garibaldi (eugaribaldi@gmail.com)

Anonymous said...

Moro em porto alegre e nunca fiquei sabendo que eles tivessem tocado recentemente aqui,que acho lamentável porque não teria perdido se soubesse, de jeito nenhum. Não sei de que maneira essa informação foi divulgada. Gosto deles desde criança, e fora aqui nesse site, nunca conheci ninguém que sequer tivese ouvido falar deles. Espero que, como é meu caso, existam bandas em formação ou atividade inspiradas neles.

Anonymous said...

Olá,
Quero muito comprar esse LP, se alguém tiver, me escreva: imaginario70@yahoo.com.br.
Abraço e luz a todos.

Anonymous said...

Thanks!

Mairon said...

Eles tocaram ano pasado no dia 12 de abril la no Beo das Garrafas, para felizes 14 pessoas. Tenho o registro em audio. Quem quiser, converse comigo

ledyesmut@yahoo.com.br

Uma das melhores bandasdo RS com certeza

Danilo said...

minha dúvida é a seguinte, o único trabalho desses verdadeiros gênios foi o mistério dos quintais?

edmarlof said...

Nejandre, Dimietri, SEUS VIKINGS! Por onde voces andam? Caramba, que saudade daqueles tempos, bar do marinho, cidade baixa...
Edmar Fabrício (músico aposentado)

Anonymous said...

ANTONIO CARLOS ARBO não é irmão e sim Pai dos caras.

Flávio

Krauthein | Designer and Artist said...

Conheci eles pessoalmente, tenho o disco, em um encontro ecológico em Santa Maria em 1984...

Anonymous said...

Um dos melhores discos brasileiros que já escutei...

Que grande pérola

Marcus Vinícius said...

Os conheci recentemente em buscas pela internet ejá gosto demais. O que me faz pensar que são tesouros do Brasil, que se souber procurar, acha.